Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

04.12.19

As maravilhosas fotografias tangíveis


Isa Nascimento

Infelizmente em vias de extinção, as fotografias “reais” em papel, manipuláveis e de mil e um tamanhos diferentes, proporcionam momentos verdadeiramente especiais.

Bem sei que as fotografias digitais são mais ecológicas, dão para aumentar quando queremos ver algum pormenor e partilham-se mais facilmente, mas, pegar num álbum de fotografias a preto e branco que cheiram a mofo dos anos passados no fundo do armário, folheá-lo vagarosamente e recordar como éramos, ou como os nossos pais eram quando nascemos, é algo insubstituível pelos suportes de imagem modernos.

Fotografias pouco nítidas, já esbatidas, algumas com defeitos de revelação e de exposição excessiva à luz que nos desafiam a memória para as enquadrar num passado distante, enfiadas aleatoriamente em envelopes amarelecidos pelo tempo.

A surpresa da primeira fotografia que aparece quando retiramos o monte de dentro do envelope, a saudade dos avós que já partiram, a recordação de momentos que já nem lembrávamos de terem alguma vez existido

 

A partilha de tudo isto com familiares e amigos:

- Quando é que isto terá sido?

- Quem é esta que estava aqui ao teu lado?

- Olha tu aqui com o primo P. no teu aniversário!

- Quando acabares passa para mim, também quero ver!

- Aqui nem pareces tu…

- Adorava este fato de banho!

- Este é o único bolo de aniversário de que nunca me esqueci!

- Vê só como o teu pai era quando tinha a tua idade.

 

A verdade é que não nos sentamos à volta de um computador para ver fotografias em grupo. Mesmo que as mostremos numa televisão e as vejamos juntos sentados num sofá, não as manipulamos, não lhes tocamos. Não podemos demorar-nos o que quisermos a contemplar as imagens que nos tocam mais fundo e nos fazem estar gratos pela vida que tivemos.

A imagem da fotografia que seguramos na mão comunica connosco através de todos os sentidos e por isso é tão especial.

1º Desfile de Carnaval_3.png

 

03.12.19

Súplica


Isa Nascimento

Clamo por socorro, vociferando calada

Desatai-me este nó que me sufoca!

Rogo aos céus por ajuda

Libertai-me de quem me tem prisioneira!

 

Por pudor e vergonha me contenho

Recalcando palavras e desejos

Asfixiada pelo indizível

Em meus gemidos silenciados

 

Suplico

Encontrai-me!

Que me desencontrei no caminho

 

Agosto de 2017

20191101_154934.jpg

 

 

 

 

 

01.12.19

Não há arco-íris sem chuva


Isa Nascimento

A vida é como a Natureza, tem dias de sol e dias de chuva, umas vezes viajamos por paisagens belas e tranquilas, outras vezes atravessamos terras sinuosas e assustadoras.

Mas a verdade é que nenhuma tempestade é eterna nem o deserto é infinito. Depois do inverno cinzento vem sempre a primavera colorida, num ciclo interminável.

Tudo é temporário, mesmo quando dura muito tempo….

A vida acaba sempre por nos dar bons momentos. Só precisamos de nos manter disponíveis para os ver a apreciar.

Afinal, sem chuva não haveria arco-íris.

IMG_9759.JPG

 

Pág. 4/4