Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

22.08.20

30/30 | 24


Isa Nascimento

Às vezes tenho pena das pedras

Do quanto são pisadas e espezinhadas

Por milhões de pés acelerados

 

De todo o peso que carregam

Ainda assim sem vergar

Sob os tetos de tantos lares

 

Imagino quanto sangue

Viram já derramado pelas praças

E ruelas das cidades ancestrais

 

Quantas querelas e quezílias

Terão já perturbado o seu descanso

Rasgando o silêncio da noite

 

Por vezes olho para a chuva

Escorrendo por entre elas

E parece-me que também choram

 

Aproveitando essa água benfazeja

Lavam-se as pedras, sem que ninguém veja

Expurgando as mágoas pelas ruas largadas

 

Agosto de 2020

20180814_115500.jpg

 

 

24 comentários

Comentar publicação