Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

Um pássaro sem poiso

Palavras soltas, livres, voando por aí

16.09.20

Sombras


Isa Nascimento

As sombras dançam ao sabor do vento

Contra um muro branco que as aviva

Sombras de flores ondulantes

Sincronizadas no mesmo bailado

Tais serpentes encantadas

Não por uma flauta tocada na rua

Mas pelo canto melodioso das aves

Pleno de acordes harmoniosos

Que só o silêncio do campo

Permite escutar

 

De vez em quando o vento muda

Em rajadas mostra a sua zanga

Começam as sombras a esbracejar

Agitadas contra aquela parede caiada

 

Ralham então as flores com a nortada

Que as faz assim acotovelar-se

E logo cala os trinados dos pássaros

Que procuram abrigo assustados

 

Ficam as flores sem compasso

Nem chilreios para bailar

No muro sombras desnorteadas

Nas árvores apenas farfalhadas

 

Setembro de 2020

20200830_154807.jpg

 

25 comentários

Comentar publicação

Pág. 1/2